segunda-feira, 26 de outubro de 2015

{Edificando} "O que uma mulher cristã sabe sobre beleza"

Oii gente... Tudo bem?? Hoje o post saiu BEM mais tarde do que o normal. Na verdade, nem ia mais postar hoje, mas li um texto que achei muito interessante e que realmente me impactou...

A "beleza" em geral já é um assunto bem controverso, seja no meio cristão ou no mundo secular. Não quero já dar spoiler do texto, mas acredito que o ponto mais importante do texto é aprender aceitar. Não de forma alienada achando que somos perfeitas e lindas do jeito que somos, mas de forma sensata, sermos alegres e satisfeitas apesar de tudo. Podemos (e devemos) fazer o melhor para nos tornarmos apresentáveis, sem nos tornarmos "escravas" desses recursos: uma maquiagem discreta (sem usá-la para se transformar em outra pessoa), arrumar os cabelos, e nos vestirmos bem, com elegância e modéstia...

❝ Tem havido muita conversa sobre a beleza por aqui ultimamente. Um amigo até rotulou a conversa como “ADB – A Discussão sobre Beleza”. Nós temos arrastado reformadores, puritanos e filósofos na discussão para nos ajudar e ajudar nossas filhas a pensarem sobre as mulheres e sobre a beleza como cristãs. Aqui estão cinco pontos:


A beleza física é tão real quanto à beleza espiritual. A nossa cultura diz às mulheres que a beleza física é tudo que importa. Alguns cristãos reagem a isso dizendo que a beleza espiritual é a única beleza real. Mas isso não é verdade; Deus criou o real, a beleza física, e neste mundo vemos muito disso, inclusive em outras pessoas. Algo puramente físico pode ser bonito (a flor, o pôr do sol, ou o cabelo da Taylor Swift) e nós podemos ser gratos por isso. Há uma tensão entre a beleza física e a espiritual, enquanto nós nos esforçamos para manter o corpo e cultivar a alma, mas uma não é menos real do que a outra, embora uma seja menos valiosa do que a outra.
Beleza pode mentir. Embora este mundo esteja cheio de beleza física, não é a beleza que já foi uma vez. Deus criou a beleza, a bondade e a verdade para serem aspectos de uma mesma coisa (o refletir de Sua perfeição), mas em um mundo caído de Gênesis 3, as três já não andam mais juntas o tempo todo. É por isso que você pode ter uma mulher bonita, sem discrição (Prov. 11:22) e uma mulher enrugada e fraca , porém cheia de bondade, compaixão e paciência. Beleza exterior nem sempre diz a verdade. George Eliot disse: “longos cílios escuros- o que pode ser mais requintado? Acho que é impossível não esperar alguma profundidade da alma por trás de um profundo olho cinza com longos cílios escuros, porém uma experiência me mostrou que eles podem ir junto com o engano, peculato e estupidez …. Em certa demora, alguém começa a suspeitar que não existe uma correlação direta entre cílios e moral … “. E é por isso que esta questão é tão complicada. O pecado cortou a beleza da verdade e do bem, Satanás distorce e abusa da beleza, e temos a tendência de olhar para o lado de fora (1 Sam 16: 7.), somos atraídos pela beleza, mesmo quando ela é divorciada ou está em oposição à bondade e verdade.
Nossas ideias de beleza são mais informadas pelos padrões culturais do que pensamos. Na Europa medieval, as mulheres arrancaram seus finos cabelos para darem-se testas altas. Belezas renascentistas foram muito acima do peso para os nossos padrões. Em outras culturas ao redor do mundo, pescoços longos, lábios esticados e cabeças raspadas desafiam as nossas ideias de beleza como meramente culturais e temporais e não atemporais e universais. Nós certamente temos dificuldade em pensar fora da nossa caixa cultural, mesmo quando temos de lidar com passagens da Escritura que exaltam os cabelos grisalhos como uma coisa boa.
Não somos lindas do jeito que somos. Há uma batalha acontecendo na cultura secular sobre beleza. Ambos os lados afirmam que a beleza é extraordinariamente importante. Um lado, no entanto, diz que tudo o que estamos fazendo não é suficiente: precisamos ser mais magras, ter o cabelo mais cheio, olhos maiores, as roupas mais caras e por aí vai, a fim de sermos realmente bonitas. Depois, há o outro lado (eu tenho certeza que você já viu os anúncios): toda mulher é bonita do jeito que ela é. Não é verdade. Qualquer um que pensa que elas são perfeitamente lindas apenas como elas são ou está na pré-escola ou tem problemas de percepção. É por isso que, quando você perguntar às mulheres o que não gosta em sua aparência, elas podem citar pelo menos algumas coisas. E elas podem estar certas: manchas e rugas e todas essas coisas são feias, não bonitas (Ef 5:27). Nós temos coisas erradas com a nossa aparência, tanto quanto temos coisas erradas com as nossas almas, e não há muito que possamos fazer sobre isso. Gênesis 3 não só nos fez pecadores: também nos fez feias, embora não tão feias como poderíamos ser, felizmente! Assim como no resto da criação, Deus preservou muita beleza em nós, embora todos nós saibamos que ficamos aquém do padrão estético, tal como fazemos moralmente.
Seremos bonitas. Exatamente onde a nossa cultura nos deixa pendurado (não estamos perfeitamente lindas e é uma batalha perdida) é o lugar onde as promessas da Palavra tornam-se especialmente claras. Nossos corpos estão definhando. Com o passar dos anos, eles estão ficando mais enrugados, flácidos, manchados, curvados e incolores. E enquanto uma mulher cristã cuida de seu corpo como um templo do Espírito (1 Cor 6, 19-20.), ela pode ser satisfeita e sensata durante este processo. Podemos real e verdadeiramente envelhecer graciosamente no sentido mais pleno, sabendo que este é o corpo físico temporário que um dia vai ser deixado de lado e depois receberemos de volta como um corpo espiritual perfeitamente refeito: forte, saudável e muito bonito.
Talvez três palavras devam moldar nossos pensamentos sobre a beleza: a mortalidade, a humildade e a fecundidade. Esses órgãos são temporários e há um limite do que podemos fazer para fortalecê-los enquanto nós os temos. Nós somos mortais: temos uma data de expiração da mesma forma como o leite na geladeira. A mortalidade deveria nos fazer humildes, não deveria? A pessoa de 20 anos mais linda deve se sentir sóbria quando se lembrar de que um dia seu belo rosto e corpo estarão em uma sepultura e as pessoas não vão querer vê-la. É aí que a fecundidade traz equilíbrio. Se estamos todos destinados à sepultura, o que vamos fazer com esses corpos que ocupam muito tempo e esforço? Frutificar. Sabemos que fruto estamos nutrindo: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.
Sabendo que somos mortais e que vamos morrer, devemos nos esforçar para sermos saudáveis e em bom condicionamento, não por causa da pressão cultural, mas porque somos capazes de servir aos outros. Admitindo-se que nossos corpos estão caídos, ainda abundamos de amor ao próximo. Podemos esconder as manchas e rugas com um pouco de maquiagem, demonstrando bondade para com as pessoas que têm de olhar para nós. E nós podemos usar o autocontrole e humildade ao nos vestir, ao fazer o cabelo e todo o resto, porque vamos ter de dar conta de como passamos cada minuto e cada dólar. Felizmente, é nessa segunda vinda que também receberemos não somente novos corpos, mas também mentes e almas perfeitamente capazes de usá-los da maneira que melhor traz glória a Deus. Vamos começar a praticar agora. 
*Este post é uma tradução de um artigo de Rebecca VanDoodewaard publicado originalmente no Blog “The Christian Pundit” traduzido e re-publicado com permissão da autora. | Tradução: Bruna Bugana | Fonte: Mulheres Piedosas.
Espero que tenham gostado tanto quanto eu!!
Fiquem a vontade para deixar seus comentários...
Tenham uma ótima semana!!
Fiquem com Deus... Beijos;*

Comente via Facebook

7 comentários :

  1. Uaaaau *-* que texto! Os pontos "Não somos lindas do jeito que somos" e "Seremos bonitas" já bastavam para mim rs

    http://aninhamorando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Aninha... ^-^
      Fico muito feliz que tenha gostado!!
      Haha, para mim também teria bastado, rs.
      Obrigada por deixar seu recadinho...
      Beijos;*

      Excluir
  2. Perfeito!! Eu, como cristã, sempre aprendi que a beleza deixa o exterior mais belo! Então não importa o que a sociedade e a moda impõe... o que importa é seguir o que Palavra de Deus nos ensina, isso nos faz lindas!

    Bjus, Bjus amore!

    Aline Laitarte - http://www.bomboneca.com
    Insta: @alinesalaitarte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Aline... :D
      Que bom que gostou do texto!!
      Beijos;*

      Excluir
  3. Texto interessante! Muitas mulheres, ao chegarem aos seus 40 e 50 anos, não conseguem lidar com o ideia de estar envelhecendo (e realmente, é difícil para a mulher). Está aí a importância de desenvolvermos essa consciência desde cedo. Cuidar da nossa aparência e zelar pelo nosso bem estar, sempre! Mas lembrar também que, mais importante é o nosso interior, nosso caráter, nossa alma e vida espiritual, porque essas coisas não envelhecem, ao contrário... Em Cristo, são aperfeiçoadas com o passar dos anos! :)

    Muito bom! Adoro os "Edificando"!
    Beijoo!! <3

    ResponderExcluir
  4. Que texto maravilhoso linda, creio que mulheres de Deus devem ser diferentes sim, a beleza espiritual vai muito alem da fisica.

    Linda, eu tenho um blog relativamente novo que fala sobre a vida de casada quando jovens e cuidados pessoais, se quiser conhecer ficarei muito feliz com a sua visita!

    Um beijo :)
    http://www.casarsemdesleixar.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada (Provérbios 31:30)

    ResponderExcluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...